Vol 1 – Liçoes de sobrevivência no mundo de negócios na Índia

Estou de volta na área!
Para quem não acompanhou meu blog até agora provavelmente não sabe que passei 5 meses na Índia no começo do ano para realizar um projeto na empresa em que trabalhava. Depois voltei para o Chile por mais 5 meses e agora estou de volta à Índia por diferentes razões. Pedi demissão da empresa indiana que trabalhava no Chile para explorar caminhos empreendedores que envolvem a Índia e o Brasil é claro. Chegou a hora de aproveitar as crescentes oportunidades no meu país e fazer uma ponte com a íncrivel e ainda desconhecida Índia! Esse é o novo capítulo da minha estória por aqui. Estou passando um mês visitando fornecedores, comprando amostras e fazendo contatos por aqui. No meio disso tudo muito coisa acaba acontecendo, tropeços, aventuras, aprendizados que vou tentando anotar pra não esquecer.
Se caso você tenha interesse em fazer negócios na Índia, aqui vão algumas dicas que podem te ajudar. Se não te ajudar pelo menos garanto que atrapalhar não vai.

1- NO STRESS – Mantenha a paciência a qualquer custo, por mais difícil que isso possa parecer. Vale treinar meditaçao, Ioga ou qualquer método que alivie o stress.

2- NADA É OBVIO – Tenha em mente que nada (eu disse NADA) acontece de acordo com o planejado por mais que você realmente tenha planificado tudo bem bonitinho levando em conta todos os imprevistos que você pudesse imaginar. Simplesmente as coisas não são óbvias por aqui, e o que acontece de imprevisto vai além do que nós, pobres mortais (não-indianos) poderíamos conceber na nossa realidade.

3- A MALANDRAGEM INDIANA – Se você pensa que por ser brasileiro, você sabe de cor e salteado todas as malandragens do mundo, está mundo enganado. Acho que os indianos deveriam promover um curso de MBA da malandragem, impressionante. Os brasileiros ficam no chileno se comparados aos irmãos do subcontinente indiano. Eles são malandros pra tudo, pra negociar, pra fazer coisas de qualquer jeito e sair de fininho, pra dar as desculpas mais esfarrapadas da face da terra e por aí vai.

4- DESAFIANDO AS LEIS DA FÍSICA – Nunca calcule o tempo de chegada a uma reunião a partir da distância do ponto de ida ao de chegada. Isso por que distância não significa NADA na Índia. Vou dar um exemplo pra esclarecer melhor onde quero chegar. Se você está a 20kms do local da reunião, voce poderia pensar que indo de carro a 60kms por hora, você chegaria em cerca de 20min, contando com um engarrafamento por aqui e por ali, você calcularia que chegaria em 40-60 min max, certo? Nãoooo, em alguns casos você pode demorar cerca de 6 horas pra percorrer uma distância de 20kms ( já aconteceu comigo). As causas para esse distúrbio são inúmeras: pode ser o horário do rush, uma procissão, uma vaca que foi atropelada, uma moto com 1 tonelada nas costas desequilibra na rodovia, pode ser um casamento, enfim por aí vai. Só falo uma coisa, se você acha o trânsito de SP ruim, você ainda não viu nada. Tá ruim pra você? Eu te garanto que pode ficar bem pior…

5- EVITANDO ATRASOS – Tendo isso em mente, sempre busque agendar reuniões em horários bem espaçados e evite marcar reuniões com um horário 100% definido. Sempre deixe uma margem de +/- 2 horas. Se você pretende chegar em algum lugar às 11 horas da manhã, por exemplo, diga que você chegará entre 9am-13am. Porque na verdade quando você estiver por aqui vai perceber que só um milagre fará com que você consiga chegar no horário planejado.

6- PESSIMISMO COMO MÉTODO DE PREVENÇÃO – Esta próxima dica é altamente relevante e eu aconselho que leia com atenção! NUNCA confie em taxistas (sei que está frase soa muito autoritária e pessimista). Mas aqui na Índia é melhor partir do pressuposto que nenhum taxista é confiável até que te provem o contrário. Se alguém por ventura te provar ser um pouquinho mais confiável, mantenha ele por perto mesmo que você tenha que pagar um preço premium por isso. Na Índia é peça rara encontrar um taxista que fale inglês razoável, saiba os caminhos sem se perder (GPS cerebral) e não chegue atrasado para te buscar. Geralmente eles nunca chegam no horário e sempre arrumam inúmeras desculpas enfarrapadas para justificar o atraso: o táxi estava quebrado, o pneu furou, a filha estava doente, e por aí vai.

7- A LÓGICA DO RELÓGIO INDIANO – Para minimizar os possíveis atrasos para seus compromissos, a dica é falar pra o taxista chegar a sua casa uma hora antes do combinado. Daí possivelmente ele chegará no horário certo. E lembre-se, se o taxista estiver atrasado ele sempre irá dizer que chegará em 5 minutos, não importa o quão longe ele está do seu local. Isso porque 5 minutos nunca são 5 minutos no relógio indiano. E isso não vale só para o relacionamento passageiro-taxista, funciona basicamente para qualquer outro relacionamento: cliente-fornecedor, amigo-amigo, chefe-subordinado e por aí vai. Se um fornecedor diz que a mercadoria vai chegar em um mês no Brasil, não é pessimismo estimar que o tempo real será de 2 a 3 meses. O indiano acha que tem um efeito melhor na relaçao dizer que a mercadoria vai chegar em 1 mês ao invés de 3 meses porque na verdade ele tem medo de dizer a verdade e acabar perdendo o cliente. Ele só não imagina que isso acaba tendo um efeito contrário do esperado. Na mente ocidental é preferível saber exatamente o tempo certo para que você possa se planejar de acordo. O indiano, sem perceber acaba perdendo toda a confiabilidade e credibilidade. Então quando você for fazer negócios com um indiano, deixe claro que você já sabe como as coisas funcionam na Índia mas que elas tem que ocorrer de modo diferente caso queiram trabalhar juntos.

8- ESPECIALMENTE PARA MULHERES: Quando estiver visitando um potencial cliente, fornecedor, chefe procure vestir-se adequadamente, ou seja, evite qualquer decote e pernas à mostra. Indiano costuma ter uma tara pelo colo feminino o que significa que um pouco de pele a mostra nesta região pode tirar o foco da reunião ou, pelo menos, você se sentirá muito incomodada com o olhar pervertido do indiano. Lembre-se, o indiano tem uma alta concentração de testosterona armazenada no corpo e qualquer decote pode tira-lo do sério. Não esqueça que a Índia é um país conservador que por exemplo não permite a indústria pornográfica e que os filmes de bollywood quase nem apresentam cenas de selinho, nem se fala outras cositas mas. Para evitar qualquer constrangimento tenha sempre um xale ou lenço na bolsa. Ah e já ia me esquecendo, nunca cumprimente um indiano com beijinhos nem no ambiente de trabalho ou fora dele. A exceçao é se você tiver conhecido o seu amigo indiano em algum país ocidental onde ele já tenha aprendido o costume de cumprimentar-se com beijinhos. Eu por exemplo cumprimento com beijinhos a todos meus amigos indianos que conheci no Chile e que agora voltei a encontrar aqui na Índia.

As coisas andam muito corridas por aqui e não estou tendo muito tempo para escrever no blog. Mas está tudo anotadinho no meu caderno e quando der eu escrevo mais!

Boa sorte para vocês e pra mim também🙂

4 comentários sobre “Vol 1 – Liçoes de sobrevivência no mundo de negócios na Índia

  1. HAHAHAHAHAAH.
    E PRA RIR E PRA CHORAR….POIS EU ACHAVA TUDO DIFERENTE DO Q VC FALA
    E IMAGINO VC NESTE CAOS HUMANO….ESPERO Q PELO MENOS A LITTLE BIT OF FUN….HAHAAH.E CLARO Q SIM…SO DE VER ESSE CAO JA E MUITO INSPIRADOR..AS CORES FORMAS…E O RESTO Q TB FAZ PARTE….BJOS
    QDO VC VOLTA???MANDA FOTOS…

    • Oi Adriana! Pois é assim mesmo que as coisas funcionam por aqui, ou pelo menos comigo está acontecendo assim! Adoro vivenciar essas coisas então com certeza to tendo lots of fun..work hard, play hard é meu lema🙂

      nos vemos logo mais! beijos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s